O Programa de Pós-graduação stricto sensu em Telemedicina e Telessaúde (PGTT) é composto, até o momento, pelo curso de MESTRADO PROFISSIONAL EM TELEMEDICINA E TELESSAÚDE(MPTT).

OBJETIVO

Formação de pessoal altamente qualificado para atuar na Telemedicina, na Telessaúde e na Saúde Digital de forma ética, inovadora e empreendedora, no Mercado e/ou na Academia, mediante o desenvolvimento de atitudes,
habilidades e competências para as atividades de pesquisa, o estudo de técnicas e de processos de forma a atender às demandas nacionais em Telessaúde e a promover a visibilidade internacional nessa área do conhecimento.

REGULAMENTAÇÃO

O Programa de Pós-graduação stricto sensu em Telemedicina e Telessaúde – curso MESTRADO PROFISSIONAL EM TELEMEDICINA E TELESSAÚDE obedece ao disposto na Deliberação Reitoria UERJ nº 60/2019 e ao Regimento Interno aprovado por seu Colegiado.

O Programa é apoiado pela Unidade de Desenvolvimento Tecnológico Laboratório de Telessaúde da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

  • Coordenação Geral
  • Coordenação Adjunta
  • Colegiado
  • Corpo Docente
  • Corpo Discente
  • Secretaria e Suporte

RELAÇÕES INTRAUNIVERSIDADE

O Programa de Pós-graduação stricto sensu em Telemedicina e Telessaúde tem relação na UERJ com outros Programas de Pós-graduação stricto sensu através do compartilhamento de disciplinas assim como no o desenvolvimento de projetos e, na Unidade de Desenvolvimento Tecnológico Laboratório de Telessaúde da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, nos seguintes projetos e programa:
a) Programa de Extensão em Telemedicina e Telessaúde UERJ
b) Projeto de Iniciação Científica em Telemedicina e Telessaúde UERJ
c) Projeto de Iniciação Tecnológica em Telemedicina e Telessaúde UERJ

PERFIL DO EGRESSO

Dos egressos do MPTT espera-se o desenvolvimento da capacidade de atuar de forma ética, empreendedora e inovadora no Mercado e/ou na Academia, com plena desenvoltura nos diversos desafios da atuação na Telemedicina, na Telessaúde e na Telessaúde, como o detalhado a seguir:

  • formação de cunho interdisciplinar, transdisciplinar e multidisciplinar
    crítica, unindo ao conhecimento adquirido na graduação e/ou na pós-
    graduação prévia, o conhecimento técnico e científico para potencializar
    e/ou ampliar a competitividade e a produtividade no uso das tecnologias
    para fins de saúde;
  • atitude ética em atenção ao direito do paciente, a despeito da formação
    profissional básica, de ter assegurada a confidencialidade e o sigilo dos
    seus dados, e dentro da legislação brasileira e das recomendações de
    boas práticas em saúde;
  • preparação técnica e capacidade de selecionar, com coerência e
    efetividade, os meios, os processos e recursos inerentes à sua
    habilitação profissional para aplicar solução eficaz aos casos que lhe
    sejam submetidos;
  • capacidade de atuar com desenvoltura na comunicação com
    profissionais de áreas conexas e afins, contribuindo para a solução de
    problemas nas esferas do estado, do mercado e do terceiro setor;
  • criatividade na busca de alternativas para situações problemáticas, de
    forma preventiva, ou quando os problemas demandem interveniência e
    melhorias;
  • domínio das mais modernas tecnologias de informação e de
    comunicação, e do uso de ferramentas de alta tecnologia, para acesso e
    disseminação de informações de última geração e exercício ágil da
    profissão;
  • capacidade de dar encaminhamento prático e de, permanentemente, ser
    capaz de teorizar essa prática, dando-lhe um conteúdo crítico e
    transformador;
  • disposição para a capacitação e qualificação continuada, com a
    consciência de que uma carreira profissional é sempre uma trajetória
    social e, por isso, deverá acompanhar as constantes transformações das
    sociedades global, regional e local;
  • qualificação profissional adequada para atuar na Telessaúde, de forma a
    promover o estímulo à formação de pesquisadores, docentes e
    formadores de opinião em prol da Saúde Digital.